CONTAGEM REGRESSIVA

"... sabemos que a arte de nosso tempo, ela própria, no que tem de mais ousado, se coloca no horizonte do precário, desprezando o conforto das formas fixas e a tutela sereníssima do eterno." (Haroldo de Campos, na introdução do livro Pequena Estética, de Max Bense)


CUMPLICIDADE

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

HÃ..?...




2 comentários:

Cosmunicando disse...

fazer a pergunta certa é muito mais difícil do que ter a resposta a ela... é a pergunta que nos move. E essa vai tão mais fundo quanto a própria existência. O mapa, definitivamente, não é o território... mas e nós, somos o signo do ser? Acho que a pergunta se basta. Incrível, ru!! Beijo.

myra disse...

pouco tenho vindo te ver..e me arrependo, gostei muito de que escreve e faz, e de certa maneira penso como voce,
um abraço