CONTAGEM REGRESSIVA

"... sabemos que a arte de nosso tempo, ela própria, no que tem de mais ousado, se coloca no horizonte do precário, desprezando o conforto das formas fixas e a tutela sereníssima do eterno." (Haroldo de Campos, na introdução do livro Pequena Estética, de Max Bense)


CUMPLICIDADE

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

GAZ EU

15 comentários:

fernando disse...

taí a força
da poesia!

estamos envoltos
numa faixa de gaze.

linkado.

evoé!

Moacy Cirne disse...

Poema tristemente atual. Um abraço.

Cosmunicando disse...

o phosphoro que queima gaza é o mesmo que phode a paz.

muito bom!
beijos

RUBENS GUILHERME PESENTI disse...

é phoda mesmo, mê!!!
mas não a foda do gozo
em
gaza
não

gozo
mas há de gozar.

beijos.

Mirse disse...

Nossa! Maravilhoso!
Que bom que GAZA está nas postagens.
En
Gas
ga E Agoniza

Fantástico!
Parabéns, Rubens!

Grande abraço

Mirse

RUBENS GUILHERME PESENTI disse...

obrigado, mirse

uma situação horrível que o estado de israel provoca.

abração.

Caranguejúnior disse...

muito bommm!!
gaza arrasada...
e ALÁ escondido entre as nuvens
com medo dos mísseis...

abraço pensador.

AL-Chaer disse...

Caro Rubens Pesenti,

pALssei ALqui para ver as novidades (sempre ótimas!) e rever as antigas (cada vez melhores de se rever/reler) e ALproveito para lhe deixar um Grande AL-Braço!

AL-Chaer

RUBENS GUILHERME PESENTI disse...

caranguejúnior, obrigado.
que Alá possa transformar mísseis em missões de fraternidade.
que explodam as alegrias!!!
abraço, meu chapa.

RUBENS GUILHERME PESENTI disse...

Al-Chaer, também agradeço suas palavras carinhosas.
ALentos de paz.
abraços.

innername disse...

gaza agoniza e nós assistimos. Se a agonia de gaza fosse este poema, podiamos incendiá-lo. E assistir aos destroços pra construir paz. Mas a agonia de gaza está bem longe de nossa casa, daí assistir impotentemente.

RUBENS GUILHERME PESENTI disse...

nina, não acredito que sejamos tão impotentes assim: ainda que seja uma assinatura, ainda que seja manifestar a indgnação, ainda que um grito.
outro dia eu falava sobre isso com a mê, que agonia também tem o sentido de luta contra a morte.
beijão carinhoso, tuga.

innername disse...

referia-me à impotência literal de ver a morte na frente e a falta de imortalidade ou divindade nossa (que pegamos nas armas e as arremessamos, como se fosse o mais natural da humanidade)de não sabermos operar o milagre da ressuscitação e da consciencialização.
Beijo Rubens

rua do mundo disse...

olá rubens
feliz com a tua chegada no site
volte sempre e saiba que adoro seu tudimmmm que você faz
um abraço querido
fátima queiroz

RUBENS GUILHERME PESENTI disse...

obrigado, fátima
como já disse, quero ver com muita atenção e cuidado o seu blog. na primeira olhada gostei muito... muito mesmo!
abraço carinhoso